Apostar na certificação

A concorrência empresarial e a crescente exigência por parte de clientes e demais stakeholders leva a que as organizações tornem prioritária a entrega de produtos e/ou serviços de qualidade superior e que vão de encontro às suas expectativas.

Deste modo, com o intuito de fomentar um desenvolvimento organizacional sustentável, a médio/longo prazo, é necessário desde logo aumentar a eficiência e eficácia de processos, devendo estes ser geridos através de uma abordagem sistematizada, tendo em conta os diversos fatores internos e externos que podem impactar a sua normal execução.

Os sistemas de gestão são assim ferramentas de apoio à definição de metodologias de gestão das atividades da empresa que pretendem garantir:

  • Maior qualidade dos produtos e serviços prestados;
  • Um melhor desempenho ambiental;
  • O atendimento das obrigações de caráter legal, regulamentar e normativo;
  • A satisfação contínua dos seus stakeholders;
  • Um desenvolvimento e crescimento sustentável ao longo do tempo.

Estes sistemas são implementados de acordo com um conjunto de requisitos definidos em referenciais normativos internacionais ou nacionais e seguem a metodologia PDCA.

Os referenciais NP EN ISO identificam as normas portuguesas que resultaram da adoção de uma norma europeia, que por sua vez adveio da adoção de uma norma internacional.

NP – identifica normas exclusivamente nacionais.

ISOInternational Organization for Standardization (Organização Internacional para a Standardização).

Certificações

Qualidade (NP EN ISO 9001:2015)

É a referência internacional para a certificação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ). Trata-se de uma decisão estratégica que procura promover a capacidade da organização em satisfazer os requisitos e expectativas dos clientes, procurando a melhoria do desempenho organizacional como um todo.

7 Princípios de gestão da qualidade:

  1. Foco no cliente
  2. Liderança
  3. Comprometimento das pessoas
  4. Abordagem por processos
  5. Melhoria
  6. Tomada de decisões baseada em evidências
  7. Gestão de relacionamentos

Ambiente (NP EN ISO 14001:2015)

A implementação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) é uma demonstração efetiva do compromisso voluntário de uma organização para com a melhoria contínua do seu desempenho ambiental. Traduz-se numa ferramenta, de caráter estratégico, que permite conquistar uma confiança acrescida nos clientes, colaboradores e restantes stakeholders.

Objetivos de um SGA:

  • A proteção do ambiente através da mitigação de impactes ambientais;
  • A mitigação dos efeitos adversos das condições ambientais sobre a organização;
  • Controlo e influência na concepção, distribuição, consumo e destino final de produtos e serviços (considerando o seu ciclo de vida).

Segurança Alimentar (NP EN ISO 22000:2018)

A concretização de um Sistema de Gestão da Segurança Alimentar (SGSA) é dirigida a qualquer tipo de organização da cadeia alimentar. O foco do mesmo é a segurança alimentar em todas as fases da cadeia de fornecimento.

Princípios de gestão da segurança alimentar:

  • Comunicação interativa;
  • Programa pré-requisitos;
  • Princípios HACCP (Hazard Analysis and Critical Control Point/Análise de Perigos e Controlo de Pontos Críticos);
  • 7 princípios da Qualidade.

Segurança da Informação (NP ISO/IEC 27001:2013)

Com a criação do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD) na Europa, a segurança da informação passou a ser um ponto de maior relevância para as empresas. Um Sistema de Gestão de Segurança da Informação (SGSI) é crucial para uma empresa proteger tanto os dados institucionais como os externos, um fator indispensável para o exercício da atividade empresarial.

Pilares da segurança da informação:

  • Confidencialidade;
  • Autenticidade;
  • Integridade;
  • Disponibilidade.

Conciliação entre a vida Profissional, Familiar e Pessoal (NP 4552:2016)

A norma portuguesa define os princípios, valores e requisitos que têm por objetivo conseguir um bom equilíbrio trabalho-vida e a satisfação dos atores impactados por políticas, práticas, objetivos e ações em matéria de conciliação.

Domínios da conciliação:

  • Boas práticas laborais;
  • Apoio profissional e desenvolvimento pessoal;
  • Serviços e benefícios.

Benefícios de uma certificação

  • Reconhecimento nacional e internacional (reputação e imagem);
  • Credibilidade e confiança no mercado (entrada em novos mercados);
  • Melhoria do desempenho organizacional (produtividade e competitividade);
  • Redução de custos e minimização de ineficiências (eficácia e eficiência de processos);
  • Aumento da motivação dos trabalhadores (cultura participativa e melhoria contínua).

Implemente o sistema de gestão adequado à sua empresa,

Related Posts

Leave a Reply